Cidades

Abandono do antigo Cine Horto preocupa moradores

Uma preocupação dos vizinhos do local é com a sujeira acumulada

 

IPATINGA – Um antigo imóvel comercial localizado na avenida Fernando de Noronha, ao lado do Sindicato dos Metalúrgicos de Ipatinga (Sindipa), está tirando o sono de moradores do bairro Bom Retiro. O local, onde até a década de 80 funcionava o Cine Horto, e que depois virou casa noturna, supermercado, igreja e, por fim, restaurante, está abandonado e servindo de refúgio para moradores de rua e usuários de drogas.
Preocupados com a situação, moradores procuraram o gabinete do vereador Dário Teixeira (PT), na Câmara de Ipatinga, para pedir que intermediasse junto à Prefeitura de Ipatinga uma solução para acabar com o problema. De acordo com moradores vizinhos ao imóvel, o abandono do local tem atraído “pessoas suspeitas” e trazido medo a pedestres e até mesmo motoristas que passam pelo local. A mesma insegurança atinge alunos da Escola Municipal Padre Cícero de Castro, já que muitos têm que passar em frente ao antigo Cine Horto.
Conforme Dário Teixeira, outra preocupação dos vizinhos é com a sujeira acumulada no local. São restos de embalagens de comida, latas vazias, papéis, plásticos e outros materiais, sem contar o fedor de urina. Preocupa, ainda, o risco do mosquito transmissor da dengue, que ali encontra um ambiente favorável à sua reprodução.
 
INTERDIÇÃO
“O lugar virou ponto de encontro de usuários de drogas e abrigo para andarilhos e moradores de rua. Está muito sujo. A gente nunca sabe quem está usando o imóvel, por isso dá até medo de passar na calçada, principalmente à noite. Se ninguém fizer nada, o problema só vai se agravar”, criticou uma moradora da rua Rodrigues Alves, no Areal.
Uma das cobranças dos vizinhos do antigo Cine Horto é que o local seja interditado, de modo a evitar que continue sendo ocupado irregularmente. “Se o proprietário do imóvel não faz nada, a Prefeitura tem a obrigação de interditar o local e tomar outras medidas necessárias para garantir a tranquilidade da comunidade”, afirmou um aposentado que mora na rua Hermes da Fonseca.
Além da questão da segurança pública, Dário Teixeira lembrou que existe também o problema sanitário, com o acúmulo de lixo e o risco de doenças. “A Prefeitura não pode ser omissa”, concluiu o vereador Dário Teixeira.

Você também pode gostar